Perda de peso: obtenha controle sobre a alimentação emocional

Às vezes, os desejos mais fortes de comida surgem quando você está no seu ponto mais fraco emocionalmente. Você pode recorrer à comida para obter conforto – consciente ou inconscientemente – ao enfrentar um problema difícil, ao se sentir estressado ou até mesmo entediado.

Comer emocionalmente pode sabotar seus esforços para perder peso. Muitas vezes leva a comer demais – especialmente alimentos ricos em calorias, doces e gordurosos.

A boa notícia é que, se você tem tendência a comer emocionalmente, pode tomar medidas para recuperar o controle de seus hábitos alimentares e voltar ao caminho certo para seus objetivos de perda de peso.

Como funciona o ciclo humor-comida-perda de peso

Comer emocionalmente é comer como forma de suprimir ou acalmar emoções negativas, como estresse, raiva, medo, tédio, tristeza e solidão. Os aborrecimentos da vida diária podem desencadear emoções negativas que levam a uma alimentação emocional e atrapalham seus esforços para perder peso.

Esses gatilhos podem incluir:

  • Conflitos de relacionamento
  • Trabalho ou outros fatores de estresse
  • Fadiga
  • Pressões financeiras
  • Problemas de saúde

Embora algumas pessoas comam menos diante de emoções fortes, se você estiver com problemas emocionais, pode recorrer à compulsão alimentar, consumindo rapidamente o que for conveniente sem prazer.

Na verdade, suas emoções podem ficar tão ligadas aos seus hábitos alimentares que você automaticamente pega uma guloseima sempre que está com raiva ou estressado, sem pensar no que está fazendo.

A comida também serve como uma distração. Se você está preocupado com um evento que está por vir ou se preocupando com um conflito, pode se concentrar em comer comida reconfortante em vez de lidar com a situação dolorosa.

Quaisquer que sejam as emoções que o levam a comer demais, o resultado final geralmente é o mesmo. O efeito é temporário, as emoções voltam e você provavelmente carrega o fardo adicional da culpa por ter voltado ao seu objetivo de perder peso.

Isso também pode levar a um ciclo prejudicial à saúde – suas emoções o levam a comer demais, você se agride por sair do caminho da perda de peso, se sente mal e come demais novamente.


BAIXE GRÁTIS O NOSSO GUIA DE SUPERMERCADO E LISTA DE COMPRAS SAUDÁVEL


Como você volta aos trilhos?

Quando as emoções negativas ameaçam desencadear a alimentação emocional, você pode tomar medidas para controlar os desejos. Para ajudar a parar de comer emocionalmente, tente estas dicas:

  • Mantenha um diário alimentar. Anote o que você come, quanto você come, quando você come, como você se sente quando come e como você está com fome. Com o tempo, você pode ver padrões que revelam a conexão entre humor e comida.
  • Domine seu estresse. Se o estresse contribui para sua alimentação emocional, experimente uma técnica de controle do estresse, como ioga, meditação ou respiração profunda. Faça uma verificação da realidade da fome.
  • A sua fome é física ou emocional? Se você comeu apenas algumas horas atrás e não está com o estômago roncado, provavelmente não está com fome. Dê um tempo para que o desejo passe. Obtenha suporte. É mais provável que você ceda à alimentação emocional se não tiver uma boa rede de apoio. Conte com a família e os amigos ou considere entrar em um grupo de apoio.
  • Lute contra o tédio. Em vez de beliscar quando não estiver com fome, distraia-se e adote um comportamento mais saudável. Dê um passeio, veja um filme, brinque com o seu gato, ouça música, leia, navegue na Internet ou ligue para um amigo.
  • Afaste a tentação. Não guarde em sua casa alimentos que sejam difíceis de resistir. E se você se sentir zangado ou triste, adie sua ida ao supermercado até ter suas emoções sob controle.
  • Não se prive. Ao tentar perder peso, você pode limitar demais as calorias, comer os mesmos alimentos repetidamente e banir as guloseimas. Isso pode servir apenas para aumentar seus desejos por comida, especialmente em resposta às emoções. Coma quantidades satisfatórias de alimentos mais saudáveis, desfrute de uma guloseima ocasional e obtenha bastante variedade para ajudar a conter os desejos.
  • Lanche saudável. Se sentir vontade de comer entre as refeições, opte por um lanche saudável, como fruta fresca, vegetais com molho de baixo teor de gordura, nozes ou pipoca sem manteiga. Ou experimente versões com menos calorias de seus alimentos favoritos para ver se eles satisfazem seu desejo.
  • Aprenda com os contratempos. Se você tiver um episódio de alimentação emocional, perdoe-se e comece do zero no dia seguinte. Tente aprender com a experiência e faça um plano de como você pode evitar isso no futuro. Concentre-se nas mudanças positivas que você está fazendo em seus hábitos alimentares e dê a si mesmo o crédito pelas mudanças que o levarão a uma saúde melhor.

Quando procurar ajuda profissional?

Se você tentou opções de autoajuda, mas ainda não consegue controlar a alimentação emocional, considere a possibilidade de fazer uma terapia com um profissional de saúde mental. A terapia pode ajudá-lo a entender por que você come emocionalmente e a aprender habilidades de enfrentamento. A terapia também pode ajudá-lo a descobrir se você tem um distúrbio alimentar, que pode estar relacionado à alimentação emocional.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima